sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Qual o clima de Arkegonos?

Ok, já deu pra entender um pouco da estrutura do cenário, mas qual o clima das guerras entre Olímpicos e Titãs? Como isso mexe com o cenário?

No post sobre a cronologia do mundo há uma brve explicação sobre as guerras e as consequências para Arkegonos, mas é difícil imaginar, de forma concreta, como tudo isso ocorre, certo? Errado! Pois bem, aqui vai um vídeo de "God of War", que mostra o que eu quero dizer com: Titanomaquia

É esse o clima das batalhas que ocorrem a cada determinado período em Arkegonos, o céu escurece com a fumaça dos vulcões da Ilha de Titãs, o solo torna-se infértil e as fronteiras não mais importam, pois os deuses estão em guerra.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Organização Política: Mapas e Fronteiras

Após o holocausto da batalha que originou a Era de Okeanos, Arkegonos tornou-se totalmente diferente do que era na Era de Gaia, as grandes cadeias de montanha e os grandes vales foram engolidos pelo mar. Desta forma surgiu uma nova organização demográfica no mundo.

Há grandes arquipélagos e ilhas. No entanto é na água que se encontra o maior poder político e demográfico na era atual. Os reinos aquáticos superam os terrestres em grande número. Existem fronteiras políticas sob o Oceano assim como acima dele.

A nova era estabeleceu a união entre povos, os aquáticos não mais eram separados dos terrestres e vice-versa.


Metropolis


Há grandes metrópoles comerciais embaixo d’água que são habitadas por seres de ambos os espaços, são as chamadas Metropolis. Nestas áreas é possível a livre circulação tanto de terrestres como aquáticos e não possuem um reino dominante, mas sim comerciantes de todos os reinos. As metropolis são caracterizadas por possuírem um campo mágico que permite a aquáticos e terrestres se deslocarem, falarem e respirarem como se estivessem em seu ambiente nativo, isto é possível graças a um campo permanente de magia natural nestes locais, não sendo possível dissipar e nem mesmo alterá-lo, é uma influência divina muito forte.

Algumas Metropolis mantém a arquitetura de cidades inundadas, juntamente com a arquitetura própria de polis aquáticas.


Ilhas

As ilhas em grande parte são áreas dominadas por florestas e não reinos, devido ao pequeno tamanho. As maiores sim, tornaram-se reinos, que são apenas a sombra do que outrora foram na Era de Gaia.

Devido à pequena extensão de terra em Arkegonos, surgiram reinos embarcações que ocupam a superfície dos mares e são como enormes cidades flutuantes, do tamanho de grandes ilhas. Assim, surgiu uma forma de compensar a falta de terra no planeta.

Na altura das nuvens existem diversas ilhas de terra que ficaram presas no céu quando os Titãs em sua fúria arremessavam imensos blocos de terra na esperança de atingir os deuses no Olimpo. Essas ilhas tornaram-se reinos e cidades na era de Okeanos, com a fuga dos terrestres de suas terras alagadas. Uma parte da população conseguiu subir e encontrou estas ilhas, anteriormente apenas habitadas por criaturas aéreas, conseguiu em parte domesticá-las e em parte extermina-las.

Pode-se dizer que tais reinos são uma outra Arkegonos, com seu comércio próprio, habitantes próprios e dinâmica própria.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Meme: 25 Coisas que Aprendi Jogando RPG

Quem me convidou para este meme foi meu maridão, de Aldetoron

As regras são:
1. Apresente a pessoa que te convidou.
2. Coloque as regras em seu blog.
3. Escreva 25 coisas que você aprendeu jogando RPG.
4. Escolha 3 pessoas e coloque os links no final do artigo.
5. Avise a pessoa que o convidou, deixando um comentário no blog original.
6. Avise seus convidados que eles foram escolhidos.

A Lista:

1. RPG se joga e não se explica;
2. Todo mundo quer descobrir o que é o tal do RPG, mas não consegue entender;
3. A quantidade de 1 que sai no D20 não é proporcional à pequena quantidade de 20;
4. Projetos de final de curso sobre RPG são toscos;
5. A regra de live action sobre não correr e você ficar tranquilo que ninguém vai te machucar não quer dizer nada em live de zombie, porque você vai correr, mesmo que não queira;
6. Aprendi muuuito sobre mitologia grega, o meu tema favorito;
7. É inevitável empilhar dados quando você inicia o caminho no RPG;
8. Empilhar dados enche muito a paciência dos outros quando começa a cair;
9. As pessoas não entendem como você consegue passar 12 horas sentado numa mesa com um monte de papel e dados;
10. Descobri termos em Inglês que não conhecia;
11. A quantidade de jogadores munchkin é imensa;
12. É muito legal fazer cosplay dos seus personagens com seu grupo de RPG;
13. Quando se é mulher, e principalmente de cosplay, é preciso estar preparada para ser abraçada pelos gordos de mochila num evento de RPG;
14. O RPG encaixa em toda situação do cotidiano, às vezes dá até vontade de falar para a pessoa jogar o blefar na mentira deslavada;
15. Fora da mesa de jogo, meu marido é "amor", mas na mesa ele é "mestre";
16. Dá fraqueza passar de nível quando só tem um livro e 5 jogadores;
17. Você cria um blog de RPG com carinho, mas só você, Deus e dois gatos pingados visitam;
18. Depois que você conhece o RPG sua vida muda e ninguém mais te entende;
19. Se comer salgadinho, não pegue a ficha, ou acabará com as famosas marcas de dedos de coxinha;
20. Às vezes os jogadores excluem o mestre e jogam sozinhos;
21. Roleplay é o que torna a crônica inesquecível;
22. Quando a crônica é muito marcante você lembra como se fosse um filme;
23. Eventos de RPG em São Paulo, são falidos;
24. Às vezes descubro coisas que estragam os planos do mestre;
25. Descobri que meu marido é o melhor mestre que conheço.

Escolhidos:
Bem, aqui vai o escolhido: rsemente de Guerras Dracônicas

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

A Língua Grega


Para dar um charme no cenário eu coloquei diversas coisas em grego, visto que a língua comum do mundo é o Grego e para que eu conseguisse fazer isso tive que pesquisar muita coisa para não sair colocando coisas fora de contexto.
Se você também se interessa por outras línguas e gostaria de usar o grego tanto em Arkegonos, como no seu cenário mesmo, aqui estão alguns links que facilitam bastante a sua vida:

Didascalica - recursos didáticos para o grego antigo Neste site é possível encontrar desde o alfabeto até a fonética da língua, ajuda muito para quem está no começo dos estudos ou para quem está apenas curioso.

Filoglossia - Learning Greek as a Foreing Language Neste site, além de você aprender o alfabeto, também aprende a escrita e também a pronúncia da língua grega.

Dicionário grego online ECTACO Este é um bom dicionário para pesquisar palavras simples, pois vem com vários significados para que você possa encaixar o melhor, mas é claro que o resultado está em grego, então antes, é preciso se familiarizar com o alfabeto grego.

Um dica que dou é a seguinte, quando você encontrar o termo em grego, depois pesquise no google para saber se realmente quer dizer o que você encontrou, se você procurar o nome de algum objeto, ou alguma coisa, pesquise em imagens e verifique se está correto. Pode parecer besta, mas se você realmente se preocupa em deixar tudo bonitinho é um bom recurso ^^

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

O tempo e suas medidas

Pois bem, para que o cenário fique mais verossímil acho interessante reformular tudo, desde o relevo e paisagem, até mesmo as medidas de tempo, acho um pouco brochante um cenário totalmente diferente contar as semanas como segunda-feira, terça-feira e por aí vai. Acho que quanto mais você viaja no cenário, mais ele se torna único e interessante de ser usado.
Alguns pequenos detalhes, fazer toda a diferença quando se mestra, porque quanto mais particularidades, mais imersiva será a sessão de jogo.
Então aqui vai mais um detalhe do cenário, enjoy ^^

O tempo é medido da seguinte forma:
- 1 ano possui 12 meses;
- Cada mês possui 40 dias e 04 semanas, e leva o nome de um titã, pois representam a natureza, a matéria, o primitivo;

- A seqüência dos meses segue a seqüência de surgimento dos Titãs:
Okeanos – imenso rio que rodeia Arkegonos
Céos – inteligência, e eixo do céu
Crio – seres marítimos e seu poder destrutivo, inclusive as das profundezas abissais
Hipérion – deus solar primitivo
Jápeto – o perfurador, deus do tempo de vida humana, da morte violenta, mortalidade e habilidade artesanal
Crono – personificação do tempo
Téia – deusa da vista
Réia – rainha dos deuses
Mnemosine – personificação da memória e mãe das musas com Zeus
Febe – coroa de ouro, deusa da lua
Tétis – fecundidade da água
Têmis –encarnação da ordem divina, das leis e costumes, e mãe das Horas e das Moiras com Zeus


- Os dias da semana, que são dez, seguem a seqüência de criação do universo:
Caos
Gaia – Arkegonos
Urano – Céu
Eros – Amor
Ponto – Mar
Érebus – Escuridão, trevas
Nix – Noite
Filhos de Nix e Érebus
Éter – puro e brilhante
Tártaro – Inferno
Hemera – personificação do dia, o sol

- As 4 semanas do mês representam os elementos primordiais:
Anapto - luz
Phlogos - fogo
Metallo - metal
Skoteinon - trevas

Muitos dos termos que uso foram retirados da língua grega, mas como meu conhecimento na língua é muito pobre, pode ser que algumas coisas estejam estranhas para quem conhece a língua, se você é uma dessas pessoas, escreva-me para me ajudar, tenho feito muita pesquisa na língua, mas nunca se sabe, né?

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

O relevo de Arkegonos

Pois bem, agora que temos o mapa físico fica mais fácil entender este post.



A parte terrestre de Arkegonos é a sombra do que foi na “Era de Gaia”. Apenas algumas montanhas permaneceram no formato de ilha, o que representa, praticamente, os seus cumes. A maioria das ilhas presentes foram formadas nesta era mesmo, a “Era de Okeanos”, como pedaços de terra que voltaram do céu após terem sido arremessados pelos Titãs. Dessa forma a era teve início com poucos lugares férteis e poucos locais verdes, assim, coube aos deuses tornar Arkegonos novamente fértil aos homens.

Atualmente há muitas ilhas que são verdadeiras florestas, com diversos tipos de criaturas e moradores, ilhas desérticas, ilhas selvagens e ilhas que tornaram-se grandes Estados.

As ilhas estão localizadas em dois hemisférios, a Mão Direita de Atlas e a Mão Esquerda de Atlas.

Ktenos é uma ilha localizada ao extremo Norte da Mão Esquerda de Atlas. Caracterizada por grandes áreas de floresta selvagem, pequenas planícies, algumas áreas áridas, uma grande cadeia de montanhas e diversos pequenos rios e riachos.

Arquipélago de Aniketos localizado na área central de Arkegonos, um arquipélago montanhoso, que esconde uma área de planície e floresta por de trás de suas formações rochosas como um vale. Possui uma grande variedade de plantas e ausência de locais áridos.

Falanges de Atlas arquipélago localizado ao extremo Sul, perfazem as mãos de Atlas. Suas falanges formam um arquipélago de formações variáveis, com ilhas rochosas compostas por muitas montanhas e algumas florestas, apenas formações rochosas e formações cristalinas, provenientes do suor de seu corpo ali condensado e solidificado. As palmas de suas mãos são regiões desérticas, extremamente quentes, com a presença de muitas dunas. Suas palmas, que já apoiaram-se neste local, hoje estão suspensas fazendo uma grande sombra nesta ilha.

Vértebras de Gaia formam um arquipélago ao extremo Norte da Mão Direita de Atlas. Local com presença de muitos pequenos rios e muita floresta, com diversas montanhas na sua região mais ao Norte.

Meríades localizada acima de Urano, pode até mesmo ser considerada como uma parte dele. Composta por uma pequena floresta e extensas áreas de formação rochosa.

Urano localizada ao Leste de Aniketos. Formada por extensas áreas de florestas e bosques, com poucas formações rochosas, e presença de muitas planícies.

Arquipélago de Afrodite ilhas com formação cristalina. Há poucas áreas verdes e pouco extensas, prevalece o domínio dos cristais, de várias cores, mas com a predominância do branco e cristalino, composto por algumas delicadas plantas que crescem em suas fissuras.

Ira de Titãs localizada ao extremo Leste na Mão Direita de Atlas. Caracterizada pelo solo de terra vermelha, com muitos vulcões em atividade, raras áreas verdes e muitas montanhas. Nesta ilha se encontra o principal vulcão de Arkegonos, um colosso que pode ser visto de qualquer parte do mundo.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Mapa Físico de Arkegonos



Pois bem, este é o primeiro mapa do cenário. Mais para frente irei poligonizá-lo e deixá-lo mais bonito, mas enquanto isso, vou já deixar aqui o mapa, para dar uma idéia do mundo.

As áreas terrestres, que são ilhas e conjuntos de ilhas, ou arquipélagos, formam, juntamente com as Ploios reinos sobre as águas, embora nem todas ilhas sejam reinos. Algumas delas, como Aniketos, por exemplo são apenas ilhas selvagens, sem governantes e reinos. Todas as ilhas possuem um papel importante no mundo, seja por causa de sua origem ou pelos seus habitantes locais ou por sua produção.

Com este mapa é possível notar o que venho dizendo, com relação ao mundo ser praticamente todo tomado por água. Espero que gostem da prévia ^.^

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Ploios - Reinos Embarcações

Arkenogos é basicamente um cenário aquático na quarta era, que é a Era de Okeanos, vide artigo sobre as Eras. Apesar do mundo contar com poucas ilhas há um vasto mundo sob as águas e também sobre, com embarcações que formam reinos, são as chamadas "Ploios".

As Ploios são enormes embarcações, com grandes extensões, que mais se assemelham a ilhas flutuantes. Sua parte superior é composta por um reino e a parte inferior, ou o convés, é composto por diversos andares de fileiras de remos, para conseguir deslocar a embarcação.

Reinos Embarcações - Ploios

Aquamarina

A maior embarcação reino, com 1750 km2 conhecida pelo seu enorme tamanho e por sua arquitetura extremamente rica e luxuosa. Grande parte deste reino foi construído em Aquamarina e madrepérola, as colunas altamente ornamentadas dão uma breve idéia da riqueza deste reino.

A principal característica da população é a presença de muitas famílias poderosas e ricas, com uma quantidade enorme de vassalos. Este reino é conhecido por sua aversão a estranhos, com exceção dos com posses, e a pessoas de poucas posses, que são proibidos de entrar no reino, quiçá, morar.

Até mesmo as moradias dos vassalos são ricamente construídas e ornadas, para que não destoem do restante do reino, no entanto encontram-se mais para o interior do reino, para que não seja muito vistas.

O formato muito se assemelha a uma embarcação, mas com um formato arredondado. No seu convés moram a maioria dos escravos, que são proibidos de circular livremente no reino, e que são responsáveis por remar e deslocar o reino através das águas.

A ostentação deste reino é tanta, que se denominaram Aquamarina, ou seja, o bem mais valioso dos mares, além de possuírem uma réplica do Olimpo no centro da embarcação, local designado para a recepção dos deuses.

Os habitantes são extremamente religiosos e devotos de todos os deuses, com frondosos templos espalhados.

A agricultura e sustentabilidade não é o forte deste reino, por isso precisam sempre de suprimentos. Apenas os vassalos têm permissão para pequenos cultivos, para que possam se sustentar, já a Aristocracia aprecia os produtos exóticos que compram de Gaia e também de Gonimos Ploios.

Seu papel no mundo como reino está na sua riqueza, são eles que lapidam os materiais que dão origem à moeda corrente. Funcionam como a Casa da Moeda. Não é preciso dizer que a forma de governo está calcada como Aristocracia.

Atena

Reino extremamente bélico. Composto por uma embarcação rústica, com arquitetura simples, porém forte, de aparência robusta. Possui aproximadamente 160 km2, possui como atividade principal o treinamento de excelentes soldados, selecionam e treinam apen

as os melhores do mundo.

As habitações estão construídas ao redor de um grande templo de Atena, que além de ser um templo é uma academia de treinamento. A população é toda organizada para o funcionamento da academia e seus guerreiros, a agricultura é bem simples, porém abundante, suficiente para alimentar a população toda, sem regalias.

Todos trabalham pela tradição. Como prova de aceitação no treinamento os escolhidos devem passar dez dias em Ktenos, se sobreviverem poderão completar o treinamento.

Aqui também são encontrados os melhores mestres ferreiros de Arkegonos, suas obras são comparadas ao talento de Hefestos, por isso também há um templo deste deus.

A organização é militar, cujas decisões são tomadas pelos guerreiros mais antigos e renomados dos reinos.

O reino também é caracterizado pela heterogeneidade de população, não há discriminação entre raças, todas são bem vindas, desde que trabalhem pelo reino e lutem por ele. A população é toda masculina, com exceção de uma guerreira que faz parte do conselho (Diamanti, uma das mais famosas guerreiras).


Amazon

Uma das menores e mais fortes embarcações, assim como Atena Ploios, sua arquitetura é rústica e forte. Possui cerca de 100km2, com uma população totalmente feminina, são as chamadas Antianeira, mulheres guerreiras, que possuem cavalos como montaria. Algumas, as castas, possuem pégaso e são as mais imponentes guerreiras já vistas.

A população é composta de guerreiras e outras mulheres que trabalham pela rainha Kallone (bela) e pelo reino, as mulheres comuns que são responsáveis pela criação das crianças, cultivo do solo, e artes. Uma vez por ano, nas festas de Dioniso esta embarcação vai até Atena Ploios para que algumas mulheres e algumas Atianeira encontrem-se com os homens para que possam ter filhos. Os meninos são devolvidos à Atena ploios e cabe a eles decidirem o seu destino, já as meninas poderão ser guerreiras e fazer parte da força bélica de Amazon.

Sua grande característica é a presença marcante de belas mulheres, fortes e hostis. Recebem poucas embarcações estrangeiras e são raros os casos em que permitiram a entrada de estranhos, principalmente homens, no reino.


Palaioz

Reino pequeno cerca de 50 km2, com muita área verde. Neste reino há a presença de muitas escolas de magia, que ensinam a magia da natureza e como aliar-se à ela. É neste reino que surgem os principais e mais poderosos usuários de magia. Quanto mais em equilíbrio e harmonia com a natureza e suas forças, maior o seu poder.

A arquitetura apresenta muitas colunas ornamentadas, em harmonia com a natureza. As construções interagem harmoniosamente com as florestas, campos e bosques, de forma que parecem fazer parte das árvores.

A população é extremamente receptiva e vive do cultivo equilibrado entre agricultura e natureza. Preservam muito o modo antigo de vida, sem riquezas, com um governo totalmente democrático.

Tamanho o equilíbrio da população com Gaia, que dizem que a própria Gaia que frutifica o solo.

Uma característica interessante é a presença apenas de templos para Apolo, com a presença das suas famosas pitonisas (sacerdotisas capazes de ler o futuro), que escolheram fazer de Palaioz sua moradia.


Gonimos

Reino extremamente grande com cerca de 400km2, com praticamente toda extensão tomada pela agricultura e pecuária. Este reino é a porção mais fértil de toda Arkegonos, é aqui que são produzidos todos os tipos de alimentos e bebidas, tanto os simples como os exóticos.

Sua população é inteira voltada para a atividade rural, mas não são considerados pobres, uma vez que toda Arkegonos consome pelo menos um de seus produtos, são considerados o segundo reino mais rico.

A fertilidade desta embarcação é fruto do trabalho humano e de influência divina, que ajuda a manter o solo fértil e saudável.

Apesar do tamanho esta embarcação possui uma excelente mobilidade, conseguindo atingir todos seus consumidores em pouco tempo. O dinheiro proveniente do comércio é praticamente todo investido no reino, por isso contam com uma rede de usuários de magia que conseguem deslocar o reino com facilidade, segurança e rapidez, de forma que realizam comércio com toda parte do mundo, dos ares até o fundo do mar.

Possuem diversos templos em homenagem a Perséfone e Deméter, além de Hades, como personificação da fertilidade do solo e Príapo, como protetor dos rebanhos.



Dunatos

Reino hostil, com 500km2 governado pelo Tirânico Dunatos e seu exército. Apesar de sua tirania é um reino próspero, com uma população relativamente satisfeita.

Dunatos governa com mãos de ferro o seu reino, mas não em todos aspectos, sua tirania está em relação à riqueza, que só pode estar em seu poder e à mutabilidade, que obriga o reino a constante mudança, tanto no seu deslocamento por Arkegonos, quanto em sua arquitetura, obrigando os moradores a mudarem o reino quando se cansa da aparência atual. Todos devem acatar suas ordens e vontades.

Apesar de não ser um reino muito rico, pois o governante acaba por gastar muito em construções, é muito rico arquitetonicamente e, portanto tornou-se uma referência em arquitetura moderna. Foi aqui que surgiu o tipo mais luxuoso de construções, copiado e aprimorado por Aquamarina Ploios.

A população é bem heterogênea e composta por vassalos e escravos, que trabalham apenas pelo reino, sendo proibidos de ter posses. Dunatos não permite que haja circulação de dinheiro, apenas de bens, que apesar de estar nas mãos de seus vassalos, pertence-lhe.

Cronologia

Cada período tempo possui uma duração variável. O que estabelece o período de tempo é a calmaria entre uma batalha e outra e o que nomeia o período é o Titã ou Titânide predominante após a batalha.
O período atual é chamado de “Era de Okeanos”, por causa de sua aliança com o Olimpo ter determinado o destino do último período de combate. Com a derrota de Crio, um dos principais aliados de Cronos, o campo de batalha já havia se tornado o que Okeanos pretendia, um grande e enorme oceano, engolindo muitas terras em seu caminho. Estamos em Okeanos 634 data do fim último conflito.

Batalhas anteriores:

“Era de Cronos- A primeira grande batalha, com Cronos vitorioso. Uranos obrigava Gaia a manter os Titãs e Hecatônquiros em seu ventre até que Cronos, com sua foice o castrou e libertou os Titãs. Com o passar do tempo sua tirania levou os Titãs de volta ao Tártaro.
“Era de Hecatônquiro” – o primeiro combate entre deuses e titãs, dando origem à Titanomaquia, guerra de Titãs. O combate foi decidido pelos Hecatônquiros (Coto, Giges e Briaréu), bestas abissais trancadas no Tártaro pelos Titãs, libertadas por Zeus.
“Era de Gaia” – Céos, o titã da inteligência, tido como o pólo, o eixo do céu, juntamente com Hipérion, Réia e Gaia, conseguiram dominar neste embate, pois poucos Titãs ousaram ir contra sua mãe, até mesmo os deuses do Olimpo agiram com cautela. Este foi um dos únicos combates em que um ser primordial tomou parte. De tal maneira que esta participação foi essencial para a sua vitória.
Este período possuiu forte influência de Gaia, de forma que o Olimpo permaneceu por bastante tempo afastado de Arkegonos e os Titãs dominaram por 320 anos, até que a própria discórdia entre eles em busca de poder resultou na quarta batalha, que originou a “Era de Okeanus”. Nesta batalha Gaia, que por tanto tempo manteve afastado os olímpicos, ao ver seus filhos destruírem a própria Arkegonos, permitiu a interferência de Zeus e seus aliados para dar um fim neste conflito.
Com a nova ordem estabelecida em Arkegonos, Poseidon foi a divindade agraciada com o maior poder e influência nesta era.

Arkegonos - O Mundo


O mundo encontra-se apoiado nas costas de Atlas, um dos Titãs filhos de Gaia, punido por Zeus, foi condenado a sustentar o Céu.

Atlas apóia-se na pedra primordial do Universo, tendo como Arkegonos o Centro de tudo.

Após muitas disputas entre deuses e titãs, os mortais escolheram seus lados e o mundo mudou muito. Foram 500 anos de guerras desde o surgimento de Arkegonos e por mais que as forças primordiais tentassem tomar partido a cada nova aliança entre deuses e hecatônquiros ou até mesmo entre deuses e alguns titãs o destino de Arkegonos parecia sempre mudar.

Nos últimos 100 anos Okeanos, Prometeu e Têmis, cansados de toda disputa finalmente tomaram parte e ajudaram os deuses do Olimpo a derrotarem o exército de Cronos. Em troca Okeanos exigiu ser soberano em Arkegonos e durante a batalha alterou o cenário ao seu favor, dando a Arkegonos o formato hoje conhecido.

Entretanto a cada período de conflito Arkegonos é alterada fisicamente, de acordo com a parte vencedora.

Os Titãs por serem considerados a personificação da matéria e do primitivo, são a natureza em si, de forma que apenas eles conseguem alterar os formatos do planeta.

Desde o surgimento de Arkegonos a Titanomaquia ocorre e de tempos em tempos o domínio no planeta muda, assim como sua forma.

O que define as eras são justamente os períodos de combate e Arkegonos é o campo de batalha.

Os deuses se encontram orbitando no Éter ao redor de Arkegonos e suas órbitas formam enlaçados que se alternam entre perto e longe do planeta, de tal forma que há sempre uma divindade perto e uma mais distante. Assim, nem todos deuses conseguem ser totalmente onipresentes.

O tamanho da órbita depende da aliança entre os deuses e a quantidade de seus fiéis, portanto, um deus com muitos fiéis e bastantes aliados no Olimpo possui uma órbita próxima a Arkegonos e vice-versa. Dessa forma, como Hades é o guardião da prisão dos Titãs, por mais que haja conflito com esta divindade, todos continuam a ser seus fortes aliados, para que sua órbita nunca se afaste muito de Arkegonos.

É justamente esta alternância que enfraquece ou fortalece os Titãs que se opõem ao Olimpo, pois a cada derrotada são sentenciados à prisão do Tártaro.

Gaia é a responsável por afastar os deuses das proximidades de Arkegonos, pois fica furiosa pelos olímpicos trancafiarem seus filhos no Tártaro.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Início

"No começo era o Caos. Era o espaço aberto, a pura extensão ilimitada, o abismo sem fundo.

De repente, surgiu a primeira realidade sólida: Gaia. Ela deu ao caos um sentido. Instalou nele o chão, o palco da maravilha e da miséria da vida.

Depois veio a Nix, a treva profunda. E abaixo da Terra fez-se o Érebro, morada das sombras.

Restava ainda um espaço vazio, sobre Arkegonos. Para preenche-lo, Gaia criou um ser igual a si, capaz de cobri-la inteira. Criou Urano, o Céu estrelado.

Na mesma solidão, originou também as montanhas, as Ninfas e o Mar.

Como Arkegonos, sem se unir a força alguma, a Noite engendrou o Éther – luz que iluminaria os deuses – e o Hemera, o dia, claridade dos mortais, que, no espaço, alterna-se com sua mãe para não cansa-la.

Por esse tempo rondava no Caos o poderoso Eros, amor universal. Nenhuma força poderia mais fecundar sozinha.

Levada por Eros, Gaia uniu-se a Urano, seu primogênito e apaixonado amante, gerando com ele, muitos e muitos filhos. Uma raça violenta povoou Arkegonos e a animou de uma nova forma de vida.

O palco do mundo está pronto. As personagens se preparam para viver seu drama."

(Adaptação da Teogonia de Hesíodo)

Assim, Arkegonos toma forma e surge como um novo mundo.

Origem

Arkegonos já surge com diversos conflitos, que fazem parte não só de sua história, mas também das leis que regem o mundo.

Da união de Gaia e Urano, surgiram 12 Titãs, 06 do sexo masculino e 06 do sexo feminino, além dos 03 Hecatônquiros (Coto, Giges e Briaréu) e dos 03 Ciclopes (Brontes- o trovão, Estérope – o relâmpago, e Argés – o raio).

Urano não gostava dos Ciclopes e dos Hecatônquiros por isto os prendeu no Tártaro. Gaia então instigou entre seus filhos a revolta. Foi Cronos, o mais jovem, que assumiu a liderança da luta contra Urano e, usando uma foice oferecida por Gaia, castrou seu pai. O sangue de Urano, ao cair na terra, gerou os gigantes; da espuma que se formou no mar, nasceu Afrodite.

Com a destituição de Urano, os Titãs libertaram os outros irmãos e aclamaram rei a Cronos, que desposou sua irmã Réia e voltou a prender os Hecatônquiros e os ciclopes no Tártaro, que por sua vez também foi fruto da união de Gaia e Urano.

O Tártaro é a personificação do Inferno, a Terra dos mortos, composta pelas mais profundas grutas e cavernas, e pelos cantos mais terríveis do reino de Hades. Um lugar tão profundo no chão, está coberto por três camadas de noites, que se segue a um muro feito de bronze a cercar este distante subterrâneo.

É um poço úmido, frio e desgraçadamente imerso na mais tenebrosa escuridão.

O Tártaro também é o lugar onde o crime encontra o seu castigo.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Inspirações

Uma das minhas maiores inspirações para fazer este cenário de campanha foi o desenho Fantasia de Walt Disney, criado em 1940. Todo o cenário e suas criaturas foram muito baseados neste desenho, inclusive o clima do cenário e arquitetura. Outra grande inspiração para o cenário foi a música clássica, em especial Bach e Vivaldi, que são meus compositores favoritos, eu as uso para mestrar, pois dá um clima sofisticado e encaixa muito bem no cenário.

Essas foram minhas inspirações externas, agora, o que realmente me motivou a colocar no papel um projeto quase esquecido, foi o empenho e determinação do meu marido no seu cenário de campanha - Aldetoron - sua dedicação me inspirou e me deu vontade de retomar o projeto de maneira mais consciente e mais empenhada.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

O que é Arkegonos?


Arkegonos (do grego) = primitivo, arcaico

Arkegonos é um cenário de campanha para D&D 4ª edição, totalmente baseado na Mitologia Grega e na Grécia Antiga. Portanto o panteão de deuses segue o panteão grego e a arquitetura, costumes e inclusive idioma falado, segue o da Grécia Antiga.

O cenário é a Mitologia viva, interagindo com o mundo e seus personagens, as histórias e intrigas entre os deuses, os seres mitológicos e seus significados, enfim, tudo aquilo que você estudou no colégio, mais aprofundado e numa aplicação divertida.

O que seguirá postado neste blog, inicialmente, é a quarta Era do mundo, que é a Era de Okeanos, por isso o cenário é predominantemente aquático e com grande influência de Poseidon.

Portanto, se você é fã de Mitologia Grega e gosta de aventuras aquáticas este é um cenário interessante para você.

Postarei aqui toda a história do cenário, as bases, os mapas, as criaturas e tudo mais que for surgindo.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Retomada


Pois é, depois de dois meses de ausência estou de volta.
Tenho acompanhado de perto o blog do meu maridão que tem servido de inspiração para mim, tanto no seu empenho na criação de um cenário de campanha super completo, como nas suas pesquisas e tudo mais.



Tenho um projeto pessoal, que não chega nem perto do que Aldetoron é hoje, que é o meu cenário de campanha, Arkegonos. A idéia deste cenário surgiu há anos atrás, quando eu ainda era muito noob para fazer algo decente e só foi consolidada este ano, quando adquiri mais maturidade, experiência e inspiração para tirá-lo da cabeça e tranferi-lo para o papel. A idéia do cenário vem de uma paixão antiga que tenho pela Mitologia Grega, desde muito pequena, quando ainda nem sequer sabia ler, eu folheava as enciclopédias de Mitologia Grega de meu pai, e me encantava com as ilustrações de grandes pintores, como Bouguereau, Botticelli e Leonardo da Vinci, entre outros. Foi desta paixão que Arkegonos surgiu, inicialmente como Sinul, um cenário simples, com pouca carga mitológica e pouco sentido.
Depois de muito tempo pesquisando sobre a Mitologia Grega, e começando a estudar a língua grega (acredite é difícil encontrar material para isso), comecei a criar um cenário totalmente baseado na mitologia, com criaturas, locais, histórias, arquiteturas e tudo mais que pertence à mitologia e ao berço de sua criação, A Grécia Antiga.
Fiquei encantada com a tecnologia da época, com os costumes, com a arquitetura,, e quanto mais eu pesquisava, mais o cenário se encaixava e portanto, mais convincente seria, comecei um estudo sobre os deuses e tudo o que envolve a mitologia que quanto mais eu estudava, mais eu encontrava coisas novas e interessantes.
Percebi que é uma mitologia tão rica e tão cheia de detalhes que o cenário ficaria interessante e bem conciso e então comecei a criar.

Aos poucos irei postando o cenário, porque tudo o que tenho precisa ser organizado melhor para vir para um blog.
É uma boa retomada, né?


domingo, 14 de setembro de 2008

O Exorcista



Bem, como tenho muito medo desse filme, não vou postar as fotos...
Bom, era noite e num casa com paredes salmon tinha um menino que estava estranho e sua vó ficou preocupada. Fiquei sabendo disso e então, quando desci de um ônibus pensei: "Agora tudo faz sentido! Ele está possuído, é por isso! Preciso avisá-los e fazer alguma coisa."
A casa ficava em cima de alguma loja, então subi as escadas e quando chego na sala, vejo o Ale e sua tia, virando os olhos, os dois estavam possuídos e a tia dele estava agachada, com as mãos nos joelhos da vó do menino, virando os olhos e mexendo a língua pra fora.
Fiquei apavorada e pensei: "A família está possuída". Nisso a tia dele levanta, e eu não mais consigo ver o seu rosto, então ela caminha na minha direção e chega ao meu lado.

Como foi apavorante demais, acordei.